sábado, 23 de abril de 2016

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO CONCURSO DE POESIA CATEGORIA (Secundário-11ºAno)

Concluído o processo de apreciação dos poemas, foram apurados os vencedores da 3º edição do concurso de poesia do agrupamento de escolas “Sebastião da Gama”.
Este concurso foi promovido pelas bibliotecas do agrupamento em articulação com professores titulares de turma e Departamento de Línguas. 
A cerimónia de entrega dos prémios e certificados de participação será brevemente divulgado.
À semelhança dos anos anteriores será elaborada uma antologia dos poemas participantes e posteriormente produzido um ebook, a divulgar na página do agrupamento blogue e facebook das BEs.

Os vencedores são:

1º LUGAR
Nuno Luís , 11º F Nº 16
Escola Sec. Sebastião da Bibliotecas Sebastião da Gama

A verdade é como a água

A verdade é como a água,
A mentira é como o sal,
Vivemos num mundo em que a fortuna
Depende do objecto trivial,

Do dinheiro e manipulação,
Da ideia de que o errado
É o sentido da razão,
Assim como o mar salgado.

E este predomina,
Não tem valor nem preço real,
Tem o cheiro da mentira
E é o que faz do ser humano racional.

Falta tanta água doce
Quanto a que algum dia deveríamos ter,
Preferimos viver na mentira
Em que somos vitimas de viver.

E por isso, justifica
Os jogos e manipulações
Onde o interesse predomina
Num jogo cheio de ilusões.

O estatuto, a fortuna,
O que deveríamos ou não fazer, 
São coisas que o ser humano
Prefere tentar não perceber,

Porque a ignorância é a melhor desculpa
Para poder servir o mal
Num mundo em que a água doce,
Está, infelizmente , cheia de sal.



2º LUGAR
Jorge Pais 
11ºB
Escola Sec. Sebastião da Gama
Ode ao Sal

Sal.
Como em tudo na vida,
Mal se torna em demasia,
Mas ideal na certa quantia.

Aqui escrevo um hino.
A uma das substâncias mais importantes,
Mas para muitos, das mais insignificantes.

Salve o Sal.
Que não só dá sabor à comida,
Mas dá alegria à vida.

Salve o Sal.
Que o alimento conserva,
E a bondade preserva.

Salve o Sal.
Que afasta todo o tipo de mal,
Até mesmo o racional.

Salve o Sal.
Que corre com a aparência,
E promove a eloquência.

Salve o Sal.
Já Vieira dizia,
Jamais se corromperia.

Salve o Sal da vida.
Que eterno o seja,
Ao sabor de quem mais o deseja.



3º LUGAR
Gonçalo Durães ,11º A
Escola Sec. Sebastião da Gama
O Sal
Importante nas refeições
Intitulado por sal
Contudo se for demais
Obviamente faz mal

Com mais valor no passado
Deu origem ao termo “salário”,
Para quem descobre agora
É um facto extraordinário !


“ Vós sois o sal da terra”
Mencionado no Sermão aos Peixes, 
Um texto fundamental no 11º
É bom que não te queixes.

Com várias composições químicas
Este é conhecido
Cloreto de Sódio uma delas
Passando-se assim despercebido

Evita a corrupção física
Nos alimentos que iremos ingerir
Usava-se pois não havia frigoríficos
Coisa importante a referir.

Sal na mesa nunca falta 
É raro o alimento que não precisa,
O que dá sabor divinal
Com a sua estrutura fina.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Missão

Vimos dar corpo à fusão recente de agrupamentos, unificar e concretizar a dinâmica de trabalho das nossas bibliotecas.

»»» Embora em construção, este blogue estará sempre em produção.