terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Poema “NATAL” de Santiago - 4ºB - BEB Montalvão

NATAL
O natal está a chegar...
Já sei o que vou fazer;
Belas prendas comprar,
A todos oferecer!

Natal está a chegar...
Já sei o que vou ver:
Os velhinhos visitar,
E com eles conviver!

O natal está a chegar...
Já sei o que vou oferecer:
Vou querer ajudar,
Quem não tem de comer!

O natal está a chegar...
Já sei o que vou receber:
Jogos para brincar,
E livros para aprender!

O natal está a chegar...
Já sei o que vou dizer:
Um Bom Natal desejar,
E ao menino Jesus agradecer!

Santiago –4ºB  -  09/12/2019

CARTÕES de NATAL - 3ºB

   

   

Fotografia das professora Isabel.
Publicação da professora bibliotecária (PB) Teresa.

ÁRVORES dos DESEJOS - BEB Nº 1 (Areias)

   

  

  

CARTÕES DE NATAL-2ºA

Publicamos os lindos cartões de Natal que nos foi enviado pela turma do 2ºA
  

  

   

domingo, 8 de dezembro de 2019

Cantem a minha Alegria por ser dia de Natal! Poema (5) de Sebastião da Gama

Três anos passariam para, em carta a Joana Luísa (ainda sua namorada), escrever: “Hoje é dia de Natal! Hoje é dia de Natal! Nas capelas todas, os sinos todos toquem! Cantem a minha Alegria por ser dia de Natal! Porque será que a minha Alegria é assim suavezinha como uma saudade, como um cair de Tarde?” Um pouco adiante, na mesma carta, transcrevia um poema feito nesse dia:

Eu não tenho razão pra estar triste...
Eu hoje sou a Estrela e os Reis Magos
e sou a ovelhinha do Presépio...

Mas vou triste, Menino de Belém.
Não me lembra que faltam
trinta e três longos anos pra que eu seja
a dor que há de matar a Tua Mãe



A concluir a carta, despedia-se: “Pois adeus, Luísa. Eu não venho desejar-te, como toda a gente, um Natal muito feliz e um ano novo cheio de prosperidades. Venho desejar-te um Natal igual ao meu: um Natal que é ...

Texto de João Reis Ribeiro (Adaptado)

Natal volta a ser motivo de poema (4) de Sebastião da Gama

Em 24 de dezembro de 1943, o Natal voltava a ser motivo de poema de Sebastião da Gama, que, dedicado a uma amiga, assim dizia, em jeito de quem conta uma história: 

Falta só um dia, meninos, ouvi,
para fazer anos que, na Nazaré,
a doce ovelhinha fazia mé-mé,
Jesus, nas palhinhas, fazia chi-chi,
sorria, encantado, o bom S. José.

Jesus foi crescendo: no chão foi dispor
uma árvore bela chamada Verdade,
que tinha por frutos a santa Bondade,
rosados quais peros, de estranho dulçor,
que sempre comê-los só dava vontade.

À sombra tão larga se vinham sentar
os bons caminheiros da estrada da Vida.
E, debaixo de si, a paz tão pedida,
os frutos gostosos, os vinha encontrar
quem perto passava e a via florida.

Vieram as chuvas, vieram os ventos
que, feros, quiseram abaixo deitá-la.
Nem ventos nem chuvas, não vinham quebrá-la
que, sempre aprumada no meio dos rebentos,
 só vinham movê-la, mui pouco vergá-la.

E os frutos gostosos são cada vez mais;
e as folhas de esperança voando mais vão;
e alguma pernada queimada ao fogão
produz luz tão forte, produz chamas tais
 que são claro dia nesta escuridão.

Falta só um dia: Jesus, nas palhinhas,
sorria aos reis magos, sorria a José.
A doce ovelhinha fazia mé-mé
e Deus, a Maria, maior das rainhas,

olhava e sorria lá na Nazaré.

Carta | Poema (3) de Boas Festas de Sebastião da Gama


Natal à porta. E eu, minhas amigas,
 doces espigas deste meu trigal,
 queria dar-vos, sim, ofertar-vos broas,
 que são tão boas cá em Portugal.

 Mas, como sabeis, a maldita Guerra
lavra na terra, tudo leva após.
 Açúcar levou, levou a canela...
 Broa que é dela? Que é dela a filhós?

 No Porto busquei, busquei em Lisboa;
 não vi  uma broa, sequer rasto destas.
Desculpai-me pois se eu dou, neste dia,
não que devia, mas só boas festas.
Diário, de Sebastião da Gama 
-Edição completa e anotada
 (Editorial Presença, 2011)

Texto de João Reis Ribeiro com supressões.
Nas férias escolares de Natal de 1949, Sebastião da Gama (com 25 anos, exercendo funções docentes nesse ano letivo na Escola Veiga Beirão, em Lisboa) registava no seu “Diário”:
“O maior calor do meu Natal vem-me das Boas-Festas dos meus rapazes. Não foram os seus cartões — alguns tão belos! Todos para o meu coração, tão belos! …
Razões apontadas para este desconforto ultrapassado pelas mensagens chegadas dos seus alunos eram várias: a vida dos pais muito ocupada nessa altura (o trabalho que tinham na Estalagem de Santa Maria da Arrábida, no Portinho da Arrábida, muito movimentada nesta quadra do ano), a dedicação do irmão Sérgio à sua nova família e o facto de Joana Luísa, sua namorada, ainda não estar com ele. …

Um pouco adiante, há ainda lugar para uma referência à quantidade de mensagens chegadas: “tive, em todos os correios de férias, os cartões das raparigas e dos rapazes. E a alegria é maior quando, como agora, se lembram de mim os que eu menos contava que se lembrassem — e quando são os alunos que o já foram os mais presentes. De alunos velhos, tive até hoje 21 cartões; de alunos de agora três apenas. Com que amor os guardo!” O Natal foi para Sebastião da Gama uma quadra com tudo o que de mais espiritual, fraterno, familiar e partilhável se possa imaginar, a acreditarmos nos registos que deixou. É de 13 de Dezembro de 1941 um poema de três quadras, ainda inédito, que intitulou “Carta de Boas Festas”, onde nos mostra o ambiente histórico, económico e social que se vivia (estávamos em tempo da Segunda Grande Guerra), ao mesmo tempo que nos deixamos deslumbrar com o sentido de humor e de oportunidade que animava o jovem Sebastião, então com 17 anos: 

Poema de Natal (2) de Sebastião da Gama

NATAL


Eu não tenho razão para estar triste.
- Eu hoje sou a estrela e os Reis Magos
e sou a ovelhinha do Presépio...

Mas vou triste, Menino de Belém!
 Não me lembro que faltam
 trinta e três longos anos pra que eu seja
 a dor que há-de matar a tua Mãe.


Sebastião da Gama, 25 de Dezembro de 1944

Poemas de Natal (1) - PRESÉPIO de Sebastião da Gama

O poema que apresentamos foi produzido em 24 de Dezembro de 1950.
O seu autor é Sebastião da Gama, o poeta da Arrábida.
presépio do poeta azeitonense revela um grande gosto pela pintura e pela religião.

O poema teve publicação póstuma em livro, em Pelo sonho é que vamos  (1953).

PRESÉPIO

“Nuzinho sobre as palhas,
nuzinho - e em Dezembro!
Que pintores tão cruéis,
Menino, te pintaram?

O calor do seu corpo,
pra que o quer tua Mãe?
Tão cruéis os pintores!
(Tão injustos contigo,
Senhora!)

Só a vaca e a mula
com seu bafo te aquecem...
- Quem as pôs na pintura?”

  

"Sebastião da Gama - caminho é por mim fora..."
Todas as bibliotecas do agrupamento temos seu CD!
“Sebastião da Gama - Meu caminho é por mim fora”, com 26 textos do poeta, ditos por Célia David, Fernando Guerreiro, José Nobre, Maria Barroso e Maria Clementina, com música de Rui Serôdio, em edição numerada, produzido pela Associação Cultural Sebastião da Gama. 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

FELIZ NATAL LOBO MAU - Clara Cunha


Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para Educação Pré-Escolar, destinado a leitura em voz alta.

A autora de O Cuquedo, regressa com a história do Lobo Mau que foi procurar o Capuchinho Vermelho, mas encontrou o Pai Natal. Será que merece um presente?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Campanha "Ajudar as escolas de Moçambique".

A BEB de Montalvão participou nesta iniciativa de forma entusiasta.

Esta foi a forma como procedemos:
- o pano era branco e foi tingido de azul com a técnica transferência de cores (papel crepe azul de molho em água). 
- secou. 
- colocaram-se quadrados de papel crepe de cores que foram borrifados com água
- secou
- uma criança/aluno de cada sala e turma fez um desenho.

- o 4º A escreveu uma mensagem de esperança que foi escrita em caracol no centro do pano.

 

  

  

 

  

O resultado final foi este. Parabéns!


sábado, 30 de novembro de 2019

Carta ao Pai Natal de Mariana, 4ºA, EB Azeda

Olá querido Pai Natal! Como tens passado?
Desejo que tenhas tido um bom ano de trabalho. Eu estou bem.
Estou a escrever-te para dizer que este ano tive boas notas, tenho-me esforçado na natação, na escola e em casa e acho que me tenho portado bem. Às vezes sou um pouco faladora mas isso faz parte de mim porque eu sou extrovertida. Por isso, acho que com um lápis e uma borracha, eu já ficava feliz mas, se tu não me conseguires dar isso, podes dar-me o que achares que mereço.
Vou terminar esta carta desejando que não te esqueças de mim.
Até breve e um beijinho.
Mariana
4ª A

Setúbal 25 de novembro 2019

Babushka - de Sandra Horn e Sophie Fatus




Mais uma história de Natal para os mais pequeninos.

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com o Natal na Educação Pré-Escolar, 1º e 2º anos.
Sigam Babushka e o seu canário amarelo na sua caminhada para Belém para conhecerem um bebé recém-nascido muito especial.


Se puderem comprem o livro é delicioso!
Ver mais em: Babushka de Sandra Ann Horn; Tradução:António Simões; Ilustração:Sophie Fatus 

NINGUÉM DÁ PRENDAS AO PAI NATAL de Ana Saldanha

O Natal! Está quase, quase... a chegar!

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com o Natal nos 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.






O próprio título pisca o olho ao pequeno leitor, apresentando-lhe um «mundo às avessas» em que o Pai Natal está triste porque ninguém lhe dá prendas. Entram depois em cena, trazendo-lhe presentes, figuras de contos tradicionais que as crianças conhecem bem: o Capuchinho Vermelho, a Gata Borralheira, o João Ratão, a Bruxa da Casinha de Chocolate, a Raposa e o Lobo Mau. Esta pequena história, marcada por um humor subtil, acaba de modo feliz, com todos participando numa inédita ceia de Natal.

Uma história muito animada, onde os valores da amizade e da partilha estão bem presentes!

Boas leituras e se puderem comprem o livro. Vale a pena!

https://www.wook.pt/livro/ninguem-da-prendas-ao-pai-natal-ana-saldanha/1421920

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

«Miúdos a Votos»: já temos os livros-candidatos a eleições!

Foram 30 409 os alunos que apresentaram os seus livros preferidos como candidatos às eleições de «Miúdos a Votos». 
Já estão apurados os livros que vão a eleições a 17 de março!
Livros nomeados para o 1.º ciclo (por ordem alfabética)

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Missão

Vimos dar corpo à fusão recente de agrupamentos, unificar e concretizar a dinâmica de trabalho das nossas bibliotecas.

»»» Embora em construção, este blogue estará sempre em produção.