domingo, 1 de julho de 2018

Concurso de Poesia Sebastião da Gama

Na escola Praias do Sado, e em sessão pública, a professora bibliotecária Helena Ferreira fez entrega de diplomas e brindes a todos os alunos participantes no concurso de Poesia Sebastião da Gama.

Publicamos aqui três dos seis poemas recebidos da turma A - 3º e 4º ano da professora titular de turma Urquida Jardim.



O rio

Quem vai ao rio 
tem amigos 
Ganha amizade 
Quem vê a serra 
tem orgulho 
Ganha sorrisos 
De uma cidade espantosa 
De quem brinca 
Com amor e carinho. 

Quem não conhece tudo isto? 
Será que tem vergonha de mostrar o coração 
A toda a gente orgulhosa 
Do seu rio, da sua serra 
Que são magníficas! 
Todas as pessoas falam: 
Que não conhecem 
Outra cidade melhor 
Outro rio ou serra mais bela 
Do que aquela que agente tem! 
Até passa nas notícias 
No programa «Bom dia!» 
Os habitantes dizem «Olá!» 

Minha querida, 
Formosa serra: 
À noite tens 
As luzes a brilhar 
As estrelas a dançar 
A lua a formar uma rua. 
De dia vem o sol 
Dá alegria e felicidade 
Às pessoas do planeta 
Porque é de todos e é minha 
É de quem a visitar!

Rita Lorena Cruz Rodrigues, 8 anos, 4.º ano, Escola Básica Praias do Sado




O rio e a serra

Mergulhar num rio é um amor 
A altura da serra é um terror 
Mas a paisagem é uma felicidade 
Nada é maior do que um rio 
Até parece que não tem fim.

A erva é muito verde 
As árvores também 
A água é muito azul 
A corrente é muito forte 
Na parte de baixo 
A serra parece gigante. 

O mar verde é possível 
Quando as árvores são enormes 
Cheias de folhas 
Troncos castanhos 
De madeira pura. 
O rio é muito fundo 
A água é muito fria 
Parece a de uma lagoa 
Até sabe bem-estar lá dentro, 
Nem no corpo magoa.

A serra tem tanta terra, 
A areia do rio esconde 
Os calhaus e as conchas 
É um rio, é uma serra 
É a serra da Arrábida 
Que desliza pelo rio Sado.

Salvador Nunes Marques, 9 anos, 4.º ano, Escola Básica, Praias do Sado







Amizade pelo rio e pela serra

Gosto muito dos rios 
Lembro-me dos meus 
Momentos apaixonados, 
Fazem um conjunto perfeito 
O rio ondulante, 
A serra verdejante. 


Ondas gigantes, 
Como é bom, 
Dar um mergulho 
No mar clarinho 
Que beija a serra 
E nas árvores poisam, 
A um cantinho, 
Os passarinhos… piu, piu…! 


Quando me apetece 
Dar um mergulho, 
É no rio de que eu gosto, 
Cheio de magia, 
Nado, ao sol a brilhar 
Parece a saudade a flutuar! 
Subo a serra 
Sinto a magia, 
Corro pela Arrábida 
Cheia de aventuras 
Parece uma corrida de encantar! 


Sempre gosto de saber 
O quanto banha o rio, 
O quanto é a serra feliz? 
Agarro a serra, com força. 
Abraço, com jeito, o rio Sado. 
Até ao mar vamos, 
Parece uma grande amizade!

Mariana Cardoso Barão, 9 anos, 3º ano, Escola Básica Praias do Sado







Foram recebidos também seis poemas da escola da Azeda, cujo tema esteve à margem do regulamento do concurso de Poesia Sebastião da Gama.
Todos os alunos receberam também diplomas e brindes oferta da bibliotecária Helena Ferreira.

Publicamos aqui três dos seis poemas recebidos da turma C - 3º ano da professora titular de turma Helena Correia.





O Monstro do do Assobio

Ao longe
Ouvi um assobio.
Não percebi
De onde vinha aquele pio.


Percebi que o assobio
Vinha de um rio
e foi aí
que me deu um arrepio.


De repente, apareceu o Zagafredo,
um monstro de meter medo!


Fugi…
Ele foi atrás de mim,
Sempre a correr e a assobiar.
Afinal,
Ele não me queria comer,
queria-me…
apenas Abraçar!

Manuel Ramos, 9 anos, 3º C, EB da Azeda



A Lição


Era uma vez um menino
que adorava ler e escrever
mas, na escola,
estava sempre a sofrer.


Era gozado
e até maltratado, coitado!


Mas um dia
deixou de se importar
com o que se andava a passar.


Fez muito bem
em não ser mais refém
e não se importar
com o diálogo de alguém.


O pensamento sobre si bastava
e com a aparência
já não se importava.


E foi assim
que só consigo se importou
e, de si
nunca mais duvidou!

Tomás Caneco, 9 anos, 3º C, EB da Azeda



A minha irmã

 A minha irmã
A minha irmã
adora trabalhos manuais
e artesanais.
Ela usa muitos materiais!


A minha irmã
não gosta de desporto.
Sempre que dá um salto
sai-lhe meio torto.


O nome da minha irmã
rima com Aurora.
Já sabem quem ela é?
O seu nome é Flora.

Filipa Domingos, 8 anos, 3º C, EB da Azeda









Sem comentários:

Enviar um comentário

Missão

Vimos dar corpo à fusão recente de agrupamentos, unificar e concretizar a dinâmica de trabalho das nossas bibliotecas.

»»» Embora em construção, este blogue estará sempre em produção.