terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Loas à chuva e ao vento, Matilde Rosa Araújo (1921-2010)



Loas à chuva e ao vento

Chuva porque cais?
Vento onde vais?
Pingue… Pingue… Pingue…
Vu… Vu… Vu…

Chuva porque cais?
Vento onde vais?
Pingue… Pingue… Pingue…

Vu… Vu… Vu…

Ó vento que vais
Vai devagarinho.
Ó chuva que cais,
Mas cai de mansinho.
Pingue… Pingue…
Vu… Vu…

Muito de mansinho
Em meu coração.
Já não tenho lenha,
Nem tenho carvão…
Pingue… Pingue…
Vu… Vu…

Que canto tão frio,
Que canto tão terno,
O canto da água,
O canto do inverno…
Pingue…

Que triste lamento,
Embora tão terno,
O canto do vento,
O canto do inverno…
Vu…

E os pássaros cantam
E as luas levantam!

in O livro da Tila: cantigas pequeninas, Atlântida Editora, 1976. Para Sebastião da Gama que foi alma tão grande de Poeta como de Criança.

SINOPSE


Plano Nacional de Leitura e Metas Curriculares
Livro recomendado para o 1º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada.

Primeiro livro de poemas para crianças escrito por Matilde, caracterizados, na sua maioria, pela estreita relação mãe-filha. A menina descobre o mundo, protegida por uma mãe que responde às suas dúvidas e que se deslumbra com as respostas... Tila representa todas as crianças que são destinatárias destes textos de grande intensidade lírica.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Missão

Vimos dar corpo à fusão recente de agrupamentos, unificar e concretizar a dinâmica de trabalho das nossas bibliotecas.

»»» Embora em construção, este blogue estará sempre em produção.